Main menu:

R.P.G. Piracaia


Go to content

Assamita

Crônicas > Vampiro "Sabbá" > Preludios

Prelude

Tarik Ali ibn-Ziyad

Nascido em Fallujah no Iraque, no ano de 1920, quando o Império Turco-Otomano foi desfeito durante a Primeira Guerra. A família de Tarik não aceitou o novo sistema de governo e fugiu para outras regiões com outras famílias. Logo os membros que fugiram dos novos governantes começaram a ser perseguidos, tanto pelo governo como por grupos de guerrilheiros que saqueavam as vilas. Depois que varios ataques de ambos as forças esgotaram as reservas de mantimentos da familia de Tarika única forma que eles encontraram de se manter vivos foi vender o seu filho recem nascido como escravo para os guerrilheiros. E assim, como um camelo ou cabras Tarik foi vendido e seus donos o levaram para as montanhas nos desertos. Torturado, humilhado e tratado comoum animal, Tarik só conseguia guardar ódio em seu coração, planejava a cada noite como se livraria de seus carrascos. E quando completou 13 anos já não suportava a ideia de ser um escravo e então guardou uma faca entre suas coisas e durante a noite, quando todos os guerrilheiros dormiam ele os matou, foram 17 homens mortos. Sua alma estava lavada e se sentia livre pela primeira vez, sua primeira ideia era voltar para os seus pais, não para viver com eles, e sim para mata-los por te-lo vendido como um bem e não te-lo defendido como os pais devem fazer. Tarik saqueou o corpo dos guerrilheiros, pegou a melhor arma, munição e montou no melhor dos camelos e seguiu para a sua vila. Infelizmente Tarik não pode terminar seu ataque furia, quando chegou na vila descobriu que seus pais tinham se mudado para a Arábia-Saudita para fugir das lembranças do passado e buscar uma vida nova em uma novo local. Tarik juntou suas coisas e seguiu para a Arábia em sua busca e vagou pelo deserto da Arábia durante muito tempo, os anos passaram e ele sempre em busca de seus pais. Quando se deu conta já haviam passados 7 anos desde o dia em que conseguiu sua carta de auforria com o sangue de seus donos.

Quando chegou aos 20 anos Tarik resolveu por fim em sua busca e desistiu dos seus pais, os anos se passaram e ele havia se tornado um mercenário, caçava, roubava e matava para manter as suas depesas em busca de seus pais. Os anos no deserto e na vida bandida transformaram Tarik em um homem seco e frio com as outras pessoas, carregava com ele apenas 4 mercenários que o ajudavam em seus serviços. Apesar de jovem, não se comportava como tal, nunca soube se divertir ou aproveitar dos prazeres que o mundo podia lhe oferecer.

A vida de Tarik só mudou quando ele cometeu seu primeiro erro. Numa noite em que havia planejado com seus companheiros invadir e saquear a casa de um sheik Tarik resolveu mudar seus planos e agir sozinho, abandonou seus companheiros, pegou suas armas e foi para o local do serviço. Até hoje ele ainda se pega pensando onde errou.

Tarik cavalgou para o local e de alguma forma se perdeu de seu caminho caindo no deserto, por onde cavalgou a noite toda e o dia também em busca do caminho correto para a vila, então depois de dias vagando pelo deserto caiu em exaustão e desmaiou no deserto.

Quando acordou estava em um salão cravado em rochas, seu cama era confortavel e algumas tochas iluminavam o local, haviam outras camas no local e uma mulher estava recolhendo uma bandeja com um jarro de agua. Ela não disse uma unica palavra para ele, apenas sorriu e fez um gesto para que ele dicasse calmo. Ele adormeceu novamente.

Não se sabe quanto tempo depois ele foi acordado por um homem. Esse homem lhe disse que eles estavam em Alamut, uma fortaleza de um grupo de guerrilheiros que estavam formando resistencia para tomar as terras de seu povo de volta e que eles estavam interessado nas qualidades de Tarik, que eles já o acompanhavam desde os 13 anos e que agora ele estava maduro o suficiente para se tornar membro desse grupo. Tarik não exitou em aceitar a proposta, não tinha nada a perder e então um longo treinamento foi iniciado. Trabalhou para o grupo como um empregado geral, limpava os salões e as armas, arrumava os quartos e preparava refeições para os membros do grupo. Nos tempos livres treinava com a cimitarra, a adaga, a pistola e o fuzil. Passou por testes de resistência física e mental e então Tarik descobriu a verdade sobre seu grupo.

Em uma das noites os membros do grupo sairam para um confronto e quando retornaram estavam muito feridos e Tarik foi o ajudar e um dos guerrilheiros o atacou, o homem mordeu seu pescoço e foi preciso que outros os separassem. Tarik foi tratado pelos outros membros e quando voltou a plena consciência começou a lhes questionar sobre o fato ocorrido até que cansados de se desvencilhar das perguntar o lider do grupo resolveu lhe contar.

Tarik já estava vivendo em Alamut a 5 anos e em nenhum momento eles o disseram que ele estava pronto para realizar os ataques do grupo e só quando o Silsila le contou a verdade sobre o grupo e suas atividades ele entendeu o porque de tanto tempo de espera para os trabalhos. O Silsila também lhe contou que todo o treinamento que ele estava recebendo era com o objetivo de o transformar em vampiro também, para assim ele poder usar todo o seu verdadeiro potencial nos objetivos do grupo. Porem a descoberta atencipada dos eventos só dava duas possibilidade para Tarik. Aceitar um elo de sangue com um dos Rafiqs que o estavam treinando assim tendo eles sua total lealdade ou ser morto para que mais ninguém soubesse da existencia do grupo e seus reais objetivos. Tarik aceito a oferta do laço de sangue e assim se tornou carniçal durante 3 anos até o fim de seu treinamento e então numa grande noite foi abraçado durante o grande ritual do Coração de Sangue. Durante o ritual quatro Rafiqs deram seu sangue para o abraço pois não existiu um verdadeiro mentor de Tarik.

Os anos seguintes foram de grande poder e satisfação para Tarik pois ele se sentia mais vivo do que nunca com seus novos poderes e estilo de vida. Onde existia conflito Tarik queria estar e logo ganhou a consideração de muitos outros do clã por se dedicar de forma implacavel em suas batalhas. Porem não encontrou apenas flores em seu caminho. Tarik sentia uma compulsão por se envolver em assuntos do mundo mortal e mesmo sem a aprovação de seus lideres ele se envolveu em uma série de batalhas para a libertação do Estado de Israel. Tarik compartilhava dos ideias do povo de Israel e lutou numa série de batalhas a favor deles, porem varios de seus companheiros do clã foram contra esse envolvimento e uma trama foi criada. Um Rafiq importante foi assassinado e a culpa caiu sobre os ombros de Tarik que foi expulso de Alamut. Os poucos que foram contra a expulsão convenceram o conselho a mandar Tarik para a America, com o objetivo de se juntar com os irmãos de lá para fortalecer as frente do clã do outro lado do Atlântico. Tarik ainda revoltado com a injustiça feita nunca mais se juntou aos outros membros de Alamut e quando chegou na América resolveu começar vida nova e esquecer tudo que tinha do passado. Começou a realizar pequenos serviços como caçador de recompensas, foi procurado pela Camarilla, mas a ideia de trabalhar para ditadores conservadores o afastava de seu novo ideal de futuro. Ficou durante alguns anos trabalhando independente até que um serviço interessante surgiu no México e lá seu primeiro contato com a organização do Sabá aconteceu. Tarik se identificou com os objeticos da seita e logo se juntou a eles e desde então luta ao lado dos mesmo como um guerrilheiro liderando bandos em seus ataques.

Na década de 60 Tarik foi enviado para o Brasil para lutar pelo Sabá para tirar o país das mãos da Camarilla que aplicava um Golpe Militar, durante quase 2 decadas inteiras ele lutou nas sombras até que finalmente conseguiu junto com o poder de sua seita derrubar os membros da Camarilla que armaram a ditadura militar e assim o Sabá volta ao controle do país. Depois disso Tarik firmou sua vida na cidade de São Paulo que possuia 90% do controle do Sabá e desde então trabalha para a seita como espada, lutando pelos ideias e controlando seus negócios particulares como o tráfico de drogas nas periferias da cidade.

Dicas de Interpretação

Tarik sempre foi um homem fechado para o mundo, sempre dedicado a suas obrigações e fiél a seus superiores. Porem quando foi expulso de Alamut resolveu mudar seu jeito de agir e passou a ser um homem sociavel, sempre sorrindo e mais aberto a dialogos. Nos dias atuais ele procura ser amigavel e companheiro.

Imagem

Um homem negro e de olhos tristes, por volta de 1.80m e 79kg. Cabelos feito dreadlocks e uma barba rala no rosto. Costuma se vestir de acordo com a moda do lugar onde vive, nos dias atuais roupas largas no estilo Hip-Hop compõe seu vestuario.




rpgpiracaia.com.br 2007 | rpgpiracaia@rpgpiracaia.com.br

Back to content | Back to main menu